PONTO DE VISTA - Brasil - Notícias
Brasil : PONTO DE VISTA
Enviado por alexandre em 13/02/2020 14:28:37


Os Sindicatos não tem acompanhado os ventos das mudanças?
Os sindicatos em todo o Brasil, já foram mais combativos, atuantes, destemidos, atuavam com firmeza em prol de sua categoria, e discutiam as questões inerentes com propriedades, sempre cerrando as fileiras na defesa dos direitos, e em beneficio da sua representatividade, mas acima de tudo exigiam o respeito ao direito de seus filiados, as melhores condições de trabalho aos seus representados. Sempre atrelados a CUT ou as centrais sindicais, que por certo eram ligados ao partidos de esquerda ou mesmo ao PT – Partido dos Trabalhadores.

Ocorre que com a eleição do companheiro Lula, nos idos dos anos 90/2000    os sindicatos que no primeiro momento viveram a euforia, logo começaram a sentir o “fogo amigo” do Governo eleito. Assim entre dar o desconto, “que o Governo precisava de tempo pra organizar a casa”, o País chamado Brasil..  Os sindicatos continuaram atrelados as centrais sindicais, foram enfraquecendo no encaminhamento da luta, não sabiam se deviam tratar o governo como “amigo” ou como o adversário de sempre, poucos tentaram ir pra o embate, em vez de estar na trincheira da defesa dos direitos, foram pras mesas de negociações (agora seremos ouvidos, sem precisar de embates, de certo pensaram assim) .

Ledo engano, o governo de Lula e Dilma foram provocando, o que chamamos no bom português inglês que o Brasileiro pratica, “enroleichon”...    os sindicatos ficaram de muitas conversas ou rodadas de negociações, e pouco avanço se teve no Governo dos companheiros “amigos” do Partido dos Trabalhadores.

Desde então os sindicatos tem perdido o rumo de atuação, é necessário uma reflexão profunda, uma analise do que já foi vivenciado, do momento presente, e o que poderá ser o caminho adotado pelas centrais sindicais ou por sindicatos que queiram sobreviver a esse marasmo que se encontra hoje a atuação sindical.

Na humilde opinião desse escriba, se antes os sindicatos já foram atuantes no embate, nas greves de fomes, ate mesmo nas radicalizações mas sempre de olho na opinião publica, hoje, faz-se necessário uma atuação diferenciada, com mais inteligência e sabedoria, não cabe mais radicalizações e os protestos se tornaram tão banais, que mesmo que o direito de qualquer categoria esteja sendo usurpado na cara limpa, movimentos radicais não atraem a simpatia nem de quem está com o direito sendo atravessado, nem da opinião publica em geral.
É o momento de atuação com o novo viés na lide sindical, talvez seja o momento em que os sindicatos devem usar a força politica pra tratar das situações de manutenção de direitos ou de avanços pras categorias que representa.

Em determinados eixos, faz-se necessário a atuação conjunta, deixar esse negocio de que o sindicato é da saúde, ou o sindicato é da educação.. etc..    se tal sindicato esta fazendo a defesa de determinada categoria, é o momento de união, de se fazer aglutinar forças dos outros sindicatos, porque ao final todos são trabalhadores, representam prestadores de serviços para a população brasileira.
E mais, muito se tentou já em diversas categorias sindicais, eleger representantes, desde o parlamento mirim, as camaras municipais, aos cargos majoritários, deputados federais e senadores, mas sempre é latente a desunião, primeiro das próprias categorias, os servidores são em geral desunidos!

E ainda nas direções dos sindicatos ainda tem os lado A, B e C que sempre querem o seu naco de poder,  e em segundo as brigas entre sindicatos A ou B medindo forças, em vez de estarem somando as forças, se fechando em bloco unido, atuando em determinadas frentes que podem ser atacadas em conjunto por diversos sindicatos! (lembrar do adágio popular: unidos venceremos!)

Assim,.  Penso que se os próximos dirigentes sindicais em Rondônia e no Brasil, não se atentarem que faz-se necessário uma NOVA FORMA DE ATUAÇAO SINDICAL QUE PASSA PELO VIES POLITICO, os sindicatos estão totalmente fadados ao fracasso. E os direitos antes adquiridos com tantos sacrifícios e lutas, serão arrancados , suprimidos, como num dos cenários da segunda grande guerra mundial, onde nos campos de batalhas da Europa, viu-se uma cena inusitada, ataque de cargas da brava cavalaria francesa, montados a cavalos,  contra tanques de guerra da Alemanha....      com final previsível daquela batalha!

Solivam A O Santana

Ex secretário geral do SINDSEF RO.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo