Líder do PSL no Senado se diz perplexo com Bolsonaro - Mais Notícias - Notícias
Mais Notícias : Líder do PSL no Senado se diz perplexo com Bolsonaro
Enviado por alexandre em 09/10/2019 09:10:16


O líder do PSL no Senado, senador Major Olímpio (PSL-SP), se disse, hoje, "perplexo" com a declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre o partido, ao qual ele é filiado.

Mais cedo, na saída do Palácio da Alvorada, o presidente disse a um apoiador: "Esquece o PSL, tá ok? Esquece". Ela afirmou ao mesmo apoiador que o presidente do partido, o deputado Luciano Bivar, está "queimado para caramba".

Segundo Major Olímpio, o PSL é fiel ao presidente nas votações no Congresso e, por isso, disse, "não dá para entender". “Todos os pedidos, e entenda-se pedido até como determinação, haja vista ele [Bolsonaro] ser o nosso líder maior, são atendidos pela direção do partido. Então, eu realmente estou perplexo com a manifestação”.

Apesar da declaração do presidente, o senador afirmou “desconhecer” a possibilidade de Bolsonaro se desfiliar do PSL. “É o nosso líder maior. Até já brinquei: é a mesma coisa que alguém morar sozinho e fugir de casa. O PSL é ele. O PSL cresceu em torno do nome dele”, disse. “Não vejo motivos [para Bolsonaro sair do partido]. Se tiver qualquer circunstância [que o desagrade], é mais fácil resolver a circunstância ou desacordo do que ele sair”.

Questionado se Bivar está “queimado” dentro do partido, conforme afirmou o presidente, Major Olímpio disse que “não vê isso”. “Talvez o presidente esteja vislumbrando uma situação que nenhum de nós tenha conhecimento. E o que eu vejo é sempre o Luciano Bivar e todo o PSL tratando o presidente com toda a consideração do mundo. Por isso que não dá para entender”, declarou.



Skaf e lideranças empresariais receberão Moro na Fiesp

Foto: Roberta Namour/Fonte:Brasil247                                                                Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Fonte:Brasil247

Folha de S. Paulo - Perfil S. A.
Por Joana Cunha

 

Depois de receber Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e outros nomes de peso do governo, Paulo Skaf prepara uma recepção na sede da Fiesp para o ministro Sergio Moro, na segunda-feira (14). Além da diretoria da entidade, foram convidadas lideranças empresariais.  

Assim como ocorreu nas visitas de Mourão e Bolsonaro, a presença de Moro deve encher a casa. Em vez de fazer a reunião na sala de eventos da direção da Fiesp, Skaf decidiu levá-lo para o teatro, que comporta 470 pessoas.

Em reunião com Moro há duas semanas, Skaf fez acordo de cooperação técnica que promete capacitar detentos pelo Senai e trocar informações em temas como combate ao roubo de cargas.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo