Tráfico - Política - Notícias
Política : Tráfico
Enviado por alexandre em 07/06/2010 18:00:00



PF prende de Ouro Preto por tráfico

PF/RN apreende 40 quilos de crack com cinco pessoas de Ouro Preto do Oeste

A Polícia Federal no Rio Grande do Norte apreendeu 40 quilos de crack ontem (6), em Ceará-Mirim, na Grande Natal.
Os agentes interceptaram dois veículos com placas de Rondônia na madrugada do domingo, e chegaram a uma casa onde encontraram garrafas PET com a droga.


Em decorrência da apreensaão, foram presos sete suspeitos, cinco deles de Ouro Preto D'Oeste, em Rondônia, e dois naturais do Rio Grande do Norte.


A PF já fazia um levantamento em todo o Estado sobre o tráfico, e há cerca de um mês investigava suspeitas em Ceará-Mirim. A presença de cinco pessoas de Rondônia na cidade, hospedadas em uma pousada, e que circulavam com dois carros daquele Estado aumentaram as suspeitas dos agentes.

Os cinco andavam na companhia do irmão de um homem preso no ano passado por tráfico de drogas pela PF. A polícia continuou o monitoramento dos dois carros e à meia-noite de domingo fez a abordagem dos ocupantes do de um deles.


Diante da abordagem, os rapazes confessaram que a droga estava na casa de uma das pessoas do grupo, o rapaz de Ceará-Mirim que seria o guardião.


A droga provavelmente vinha da Bolívia, passava por Rondônia, e chegava em Ceará-Mirim para ser distribuida na Grande Natal. A estimativa do delegado da PF Sandro Luciano Carom é de que a quantidade da droga daria pra 80 mil pedras de crack.

A estimativa da PF é de que seria possível produzir 80 mil pedras com os 40 quilos de droga apreendidos. Negociadas ao valor de R$ 5, renderia R$ 400 mil. “Com a quantidade de droga acreditamos que seria possível abastecer toda Grande Natal”, afirmou o delegado e superintendente da PF/RN, Sandro Luciano Carom.

Droga estava dentro de garrafas pet

Das cinco pessoas que trouxeram a droga de Rondônia, uma delas se disse a responsável pelo transporte da droga e que havia chegado a Ceará-Mirim naquele dia. O crack havia sido transportado dentro de garrafas “pet” no tanque de combustível dos dois veículos.

“Um dos motivos, além da placa, que chamou a atenção dos policiais foi o fato de o Uno ter um forte cheiro de gasolina. Isso é um indício que o combustível foi retirado para a colocação da droga. Mas, é percebido apenas quando há certa experiência por parte dos investigadores. Mesmo se eles tivessem passado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), dificilmente seriam pegos, visto que os documentos dos veículos estavam todos legais e não levantariam suspeitas”, explicou o delegado.

De Rondônia para Natal são, aproximadamente, 5 mil quilômetros e a viagem, de carro, dura em média quatro dias. Como já é de praxe da PF, nenhum nome dos envolvidos pôde ser divulgado. Pelo menos, até que a investigação seja concluída. “Acreditamos que a quadrilha seja maior e esse foi apenas o início das investigações. Vamos tentar descobrir qual a rota utilizada para chegar até o Brasil porque, provavelmente, a droga veio da Bolívia”. Segundo o delegado Carom, os sete presos devem ser indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico.



A operação contou com a participação da Polícia Militar de Ceará-Mirim.



Em contato com exclusividade com a reportagem do sitio www.ouropretoonline.com a assessoria de comunicação social da PF/RN informou os nomes dos acusados sendo: Markon de Souza Vitor, André de Oliveira Silva, Ivair Pereira Filho, Wilson Santos da Silva, Josué Fernandes Ramos, Oseías Geraldo de Souza, Jailton João de Souza e Francilvanio Cabral Dantas os veículos aprendidos foram: Um Fiat Uno, cor branca com placas de Ouro Preto (não informada) e um Voyage modelo 2009, cor prata placas de Ji-Paraná.

O delegado da Polícia Federal Cristian Gomes que comandou a operação disse que outras pessoas estão sendo investigadas tanto no Rio Grande do norte como em Rondônia especialmente em Ouro Preto do Oeste de onde os traficantes tem residências, A PF informou ainda que vai disponibilizar as fotos dos envolvidos para imprensa.


Autor: Alexandre Araujo e Tribuna do Norte

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo