Resenha Políitca - Resenha Política - Notícias
Resenha Política : Resenha Políitca
Enviado por alexandre em 03/07/2018 22:20:21

RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA



DEFINIÇÃO – Está definida a pré-candidatura a governador pelo PSDB do ex-senador Expedito Junior. Embora os partidos PSDB, PRB, DEM, PP, PR e PSD ainda estejam conversando para caminharem juntos, é unânime o nome do Junior para encabeçar a chapa. Este quadro afunilou depois que o STF confirmou a decisão que retirou da disputa ex-senador Ivo Cassol. Após a copa, o anúncio será tornado público. As especulações em sentido contrário não passam de bobagens pré-eleitorais.



INABILITADO – Quem insiste em manter a pré-candidatura a governador é o senador do PDT Acir Gurgacz, mesmo com as dúvidas que pairam sobre sua elegibilidade, visto que também foi condenado recentemente no STF. Ele garante que a condenação sofrida não retirou sua condição de elegibilidade e continua disposto a permanecer na disputa. Apesar da alegação de que está elegível, dificilmente o Tribunal Regional Eleitoral vai conceder ao senador o registro de governador pela simples razão de que todos os candidatos com condenações em segunda instância caem inexoravelmente na malha da lei da ficha limpa. Os exemplos são fartos.



SANGRAMENTO - Os seguidores do pedetista vão discordar da coluna, o que, aliás, é algo absolutamente normal, mas é melhor guardar as energias para discordar em juízo. Uma coisa é certa: na hipótese do PDT homologar a candidatura do senador Acir, a dúvida vai gerar muito debate na mídia e na justiça eleitoral, o que enfraquece qualquer campanha eleitoral. Este filme o final todos conhecem em Rondônia.



FÊNIX – Quem subestimava ou torcia o nariz para a pré-candidatura da petista Fátima Cleide ao Senado Federal, começa a levar a sério o projeto petista de Rondônia em resgatar a imagem da ex-senadora e lutar para que vença outra vez. Fátima e os petistas sabem que não é uma tarefa fácil entrar numa disputa com a carga de desgaste provocada pelas administrações municipais dos petistas em Rondônia, a exemplo de Porto Velho, Cacoal, Jaru, Guajará e Médici, onde os prefeitos do partido saíram queimados com administrações medíocres. Mas ela está revigorada e disposta a debater em pé de igualdade com os adversários. Coragem e audácia são os oxigênios que movem a ex-senadora, embora ressurgindo das cinzas. Não é para subestimar, quem avisa amigo é!



NOVIDADE – Apesar de ser uma novidade para alguns observadores políticos de plantão, a pré-candidatura a senador do deputado federal Marcos Rogério foi tema há dois meses nessa coluna. Depois de um longo bate papo com este cabeça-chata, numa viagem entre Porto Velho e Brasília, o parlamentar confidenciou na época que avaliava com a direção nacional do Democratas a postulação de uma vaga senatorial. Não deu outra: Marcos Rogério é pré-candidato a senador numa aliança com Expedito Junior. Uma aliança que tem chances de redesenhar o quadro estadual que estava sendo pintado.



AMEAÇA – Quem está incomodado com o afunilamento das candidaturas é o ex-governador Confúcio Moura do MDB. Anteontem ele (ex-governador) foi às redes sociais para fazer uma ameaça velada aos dirigentes do MDB que, segundo ele, estariam manobrando para impedir que o partido homologue duas candidaturas ao senado. Moura percebeu que, na hipótese do MDB rifar uma das pré-candidaturas à Câmara Alta, decerto o descarte recairá sobre si próprio, já que o senador Valdir Raupp possui votos para garantir a sua.



LOROTA – Ao ameaçar os convencionais do MDB e anunciar uma reação explosiva, Confúcio Moura joga com a tática de atacar para inibir o ataque. Tudo lorota! Mesmo ostentando percentuais melhores que os concorrentes nas pesquisas sérias divulgadas por aí, não é uma unanimidade e os percentuais tornados públicos não são tão avantajados que permitam explodir os supostos carrascos da sua pretensão eventualmente frustrada.



EXIGÊNCIA – De nada adiante o ex-governador exigir dos correligionários do partido uma reciprocidade que nunca existiu quando esteve administrando o estado. Por várias vezes usou o blog para se queixar dos pedintes do partido que exigiam nomeações diariamente. Além de se queixar, dava sucessivos puxões de orelhas públicos que terminavam constrangendo os correligionários. Certo ou errado são esses mesmos emedebistas que agora vão à convenção escolher seus candidatos e que estão sob ameaças.



EXPLOSÃO – Com o novo cenário eleitoral e os partidos apresentando os seus pré-candidatos, dificilmente o MDB homologará dois candidatos a senador já que precisa ampliar o número de deputados federais. Certamente entre Raupp e Confúcio, o primeiro, hoje, leva uma vantagem enorme sobre o segundo em qualquer escrutínio do MDB. Os convencionais, os emedebistas, sabem quem são e sabem a tendência de cada um deles. A tendência é que a explosão que o ex-governador insinuou atinja tão somente sua candidatura a senador. Embora uma vaga a deputado federal para Confúcio Moura seja o caminho mais ameno para evitar que o palanque do partido seja afetado.



RESERVA – O PT anunciou um pré-candidato próprio a governador. Os petistas estão divididos entre apoiar o candidato do PDT Acir Gurgacz e o governador Daniel Pereira do PSB. O problema é que Daniel condiciona uma eventual candidatura à desistência do pré-candidato Acir. O governador está conformado com a condição de reserva, mas nos últimos dias voltaram as especulações de que o governador quer na verdade a titularidade na corte estadual de contas. Uma engenharia extremamente complexa a ser operada que envolveria os três poderes. Tudo em política é possível, mas é bom combinar com os russos para evitar a zebra.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo