Há 3 tipos de orgasmos vaginais, diz especialista que ensina a atingir cada um - Amor e Sexo - Notícias
Amor e Sexo : Há 3 tipos de orgasmos vaginais, diz especialista que ensina a atingir cada um
Enviado por alexandre em 01/01/2018 22:30:12


Uma mulher pode alcançar o orgasmo de diferentes formas, mesmo em uma única região do corpo.

Apesar de não ser um fato amplamente conhecido, há 3 tipos distintos de orgasmos vaginais e cada um deles pode ser experimentado de forma variada, segundo defende o coach em relacionamentos Jordan Gray.  Como atingir o orgasmo vaginal de diferentes formas

Orgasmo clitoriano: como o nome indica, trata-se do prazer máximo que pode ser alcançado através do estímulo do clitóris. É o tipo de prazer mais comum e facilmente experimentado pela maioria das mulheres e sequer exige penetração do pênis, ou seja, pode ser obtido através da masturbação e, claro, do sexo oral.

Orgasmo pelo ponto G: o clímax pela região caracterizada como um tecido esponjoso de cerca de 1,5 polegadas localizado dentro da vagina, na parede superior, produz excitação sexual profunda, orgasmos poderosos, mas raramente é experimentado pela maioria das mulheres, já que ponto nem sempre é facilmente identificado e estimulado corretamente. Muitos especialistas duvidam de sua existência, mas, se a área for descoberta, deve haver uma leve pressão inicial até que os movimentos se tornem mais vigorosos e acelerados.

Orgasmo cervical: de acordo com o especialista, é, de longe, o orgasmo vaginal mais profundo e intenso. Muitas vezes, resulta em uma sensação de prazer e formigamento ao mesmo tempo, que pode durar vários minutos. Também bastante difícil de ser experimentado, esse tipo de clímax teria mais chances de ocorrernas posições de cavalgada, quando a mulher se senta sobre o parceiro, ou na pose de quatro apoios, com a penetração vaginal por trás.

Vix.com


Sexo faz bem, mas qual é a frequência ideal? VEJA O QUE DIZEM OS ESPECIALISTAS!


Sexo bom é com consentimento e com camisinha, hein!

Não há dúvidas de que fazer sexo nos deixa mais felizes, dispostos, de bem com a vida, com a pele brilhando e uma vontade maluca de dançar qualquer música do Sinatra pelas ruas da cidade. A questão é: quantas vezes por semana precisamos fazer sexo para ter uma melhora significativa de humor? Antes de continuar lendo a matéria, pense com calma e veja, depois, se você consegue acertar o resultado.

A resposta para essa dúvida intrigante e bastante sensata foi dada por uma pesquisa divulgada no Social Psychological and Personality Science. O documento foi uma análise de duas pesquisas, sendo que uma delas foi realizada durante 23 anos com mais de 25 mil pessoas.  Dos indivíduos pesquisados, dois terços eram casados ou estavam em relacionamentos sérios de longo prazo. A análise revelou que, de fato, fazer sexo traz inúmeros benefícios para a nossa saúde física e mental, e que a média necessária para que tenhamos a sensação de felicidade é a de uma vez por semana.

Acha pouco ou está bom assim?

De acordo com a responsável pelo estudo, Amy Muise, é comum que os casais se sintam pressionados a fazer muito sexo. Segundo ela, estabelecer essa média de sexo uma vez por semana é uma forma de ter um objetivo realista. Muise nos lembra também de que a pressão por sexo diário ou em uma frequência muito alta faz com que, com o passar do tempo, as pessoas acabem perdendo o interesse pela atividade.

A pesquisadora comenta, no entanto, que a média ideal pode ser, sim, de uma vez por semana, mas que isso não deve fazer com que casais que façam sexo com mais frequência tentem diminuir o ritmo. Muise explica que, para alguns casais, reduzir o ritmo seria reduzir a sensação de satisfação e felicidade, o que não é a intenção. Agora conte para a gente o que você achou dessa pesquisa: uma vez por semana é pouco ou está de bom tamanho?

Mega curioso

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo