Torta de climão entre Meirelles e Temer - Mais Notícias - Notícias
Mais Notícias : Torta de climão entre Meirelles e Temer
Enviado por alexandre em 07/12/2017 09:26:44

Torta de climão entre Meirelles e Temer



O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) receberá prêmio em SP, na segunda (11).

A programação prevê que Alckmin entregue a menção a ele. Recentemente, Meirelles criticou o partido do governador e minimizou sua capacidade de atrair aliados na eleição.

Já o íder do Vem Pra Rua, Rogério Chequer vai se desligar do grupo para disputar uma vaga na Câmara pelo Partido Novo.

Enquanto isso, a baixa adesão do PSD à reforma da Previdência fez do ministro Gilberto Kassab (Comunicações) alvo de forte pressão. Os entusiastas do texto dizem que se ele não fechar questão “para valer”, ameaçando cortar verbas de quem não apoiar o governo, só entregará 15 votos.

PMDB e PP são os partidos com maior adesão ao texto. O PSDB, em vez de avançar na discussão, refluiu. A maioria da bancada de deputados boicotou reunião que discutiu a reforma e mandou avisar que nem sequer quer declarar voto no plenário. A disposição é a de não dar quorum. (Painel - FSP)

Temer pela Previdência: R$ 500 milhões para centrais



Em meio às negociações para a aprovação da reforma da Previdência, o Planalto fez um aceno às centrais sindicais que se opõem às mudanças. Michel Temer garantiu, na terça (5), que baixará portaria semana que vem para liberar o pagamento de cerca de R$ 500 milhões em verbas do imposto sindical que estavam retidas na União. O dinheiro é fruto de um acordo entre as entidades, o MP, a Caixa e o governo. O ministro Ronaldo Nogueira (Trabalho) vai assinar o texto.

Os R$ 500 milhões foram bloqueados por falhas no preenchimento de dados obrigatórios para o pagamento.

A baixa adesão do PSD à reforma da Previdência fez do ministro Gilberto Kassab (Comunicações) alvo de forte pressão. Os entusiastas do texto dizem que se ele não fechar questão “para valer”, ameaçando cortar verbas de quem não apoiar o governo, só entregará 15 votos.

PMDB e PP são os partidos com maior adesão ao texto. O PSDB, em vez de avançar na discussão, refluiu. A maioria da bancada de deputados boicotou reunião que discutiu a reforma e mandou avisar que nem sequer quer declarar voto no plenário. A disposição é a de não dar quorum. (Painel – Folha de S.Paulo)

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo