Dirty Talk: saiba as palavras certas para apimentar o sexo - Amor e Sexo - Notícias
Amor e Sexo : Dirty Talk: saiba as palavras certas para apimentar o sexo
Enviado por alexandre em 14/08/2017 00:53:19


Dirty Talk: saiba as palavras certas para apimentar o sexo





Sabe aquelas palavras que sussurradas no ouvido deixam o tesão à flor da pele? Pode ser um elogio bem safado, a descrição de uma cena erótica, uma fantasia dita ao pé do ouvido e até mesmo palavrões podem deixar a relação ainda mais quente. Aliás, para quem não tem muita frescura, quanto mais sujo for o palavreado, mais selvagem o sexo fica. Essa brincadeira durante a transa é chamada de Dirty Talk.

Mas para entrar na Dirty Talk, você precisa saber se a sua companheira ou companheiro gostam de ouvir sacanagens. A maioria gosta, mas muitas também se ofendem quando, na hora H, são chamadas de “putinha” ou ouvem outras besteiras mais “pesadas”. Neste caso, não entendem que o “xingamento” é para que se deixem agir por instinto, sem formalidades e vergonhas. Mas tente sempre mostrar que você a respeita, mesmo se for pegar pesado. De qualquer forma, se perceber que não rola a Dirty Talk, melhor não forçar a barra.

Se perceber que ela curte, livre-se das travas na língua e a conduza por fantasias eróticas, apalpando o terreno, criando situações e descobrindo do que ela gosta. Veja três dicas valisosas de como usar a Dirty Talk:

– Não diga nada forçado: não tente dizer palavras que não sejam confortáveis para você falar ou que não sejam realmente excitantes para você. Tem que ser as palavras que vêm à mente na hora, que sejam espontâneas.

– Coloque emoção nas palavras: o que você diz, deve ser acompanhado por um tom de voz estimulante, mas nada de tentar fazer voz de ator pornô ou forçar uma voz sexy, mas não se esqueça dos suspiros e gemidos, que intensificam o que você fala.
– Não seja meloso na hora do sexo: com as palavras pervertidas, a pegada tem que ser mais viril, deixando-a com tesão. Deixe a ternura para outra hora.

Depois da “brincadeira”, considere o que falaram e das ideias que mais gostaram. Muitas cenas que foram ditas podem virar fetiches para serem realizados em breve!

Fonte: Com informações de Mais de Trinta


Confira cinco dicas naturais para melhorar sua vida sexual



Com algumas mudanças simples em seus hábitos alimentares, assim como com a prática de atividades físicas e o monitoramento de alguns itens da sua saúde, é possível melhorar bastante essa questão antes de recorrer a medicamentos e outros tratamentos mais sérios.

É importante pensarmos em nossa vida sexual com a devida atenção para garantir um relacionamento mais pleno e realizado, assim como é fundamental não acreditarmos que a falta de apetite sexual é algo comum, que é o esperado com o passar do tempo – na verdade, pessoas saudáveis podem fazer sexo normalmente ao longo de toda a vida adulta, e isso inclui a terceira idade.

Os métodos que você vai conhecer a seguir fazem parte de um relatório especial da Universidade de Harvard, dedicado apenas a problemas sexuais, especialmente os relacionados à disfunção erétil. São dicas simples que, além de melhorar a vida sexual do casal, farão bem à sua saúde como um todo, ou seja, não tem motivos para não tentar! Confira:

1. Que tal fazer caminhadas diárias?

Só para você ter ideia, uma rotina de apenas 30 minutos de caminhada por dia é capaz de reduzir os riscos de disfunção erétil em até 41%. Outro estudo realizado pela mesma instituição nos mostrou que exercícios moderados ajudam a melhorar o desempenho sexual especialmente dos homens de meia idade e que são obesos.

2. Comer direito é fundamental

Não há como negar: uma alimentação saudável e equilibrada é a chave para uma vida melhor em diversos aspectos. Quando pensamos em saúde sexual, o ideal é investir em uma dieta rica em frutas, vegetais, grãos e peixes. O consumo desses itens e a diminuição de carne vermelha, de produtos processados e de grãos refinados é uma ótima maneira de ajudar seu corpo a mandar bem entre quatro paredes.

Em termos de dieta, sabemos também que deficiência da vitamina B12 é algo que dificulta a ereção, então é sempre bom ficar de olhos abertos e investir em alimentos como amêndoas, salmão, truta, carne bovina, cereais e iogurte. Para saber como seu corpo tem absorvido essa vitamina, você pode procurar ajuda médica e solicitar exames.

Outra vitamina fundamental é a D, encontrada no leite, iogurte, queijo e atum enlatado. Já é comprovado que homens com deficiência de vitamina D têm um risco 30% mais alto de desenvolver disfunção erétil. Vale lembrar que tomar Sol todos os dias, por alguns minutos, é algo que ajuda seu corpo a absorver essa vitamina.

3. Acompanhe e cuide da sua saúde

Infelizmente, a obesidade está relacionada com o aumento de doenças cardíacas e com casos de diabetes, sendo são capazes de provocar baixa libido e disfunção erétil. Por exemplo, um homem com uma cintura de 107 cm tem 50% a mais de chances de ter disfunção erétil quando comparado com um homem que tem uma cintura de 81 cm. Então, é importante manter uma alimentação saudável e fazer acompanhamentos médicos periódicos para avaliar sua saúde.

4. Dê atenção à sua saúde vascular

Se o seu hemograma revela altos índices de açúcar no sangue, de colesterol ruim (LDL) e de triglicerídeos, está na hora de cuidar melhor de você! O mesmo vale para quem é hipertenso.

Regular esses índices é algo que melhora a saúde do coração, do cérebro e, no caso dos homens, do pênis. Em alguns casos, quando apenas a mudança alimentar e a prática de exercícios não resolve, é preciso realizar tratamento medicamentoso. Independente de qual for a sua situação, é preciso seguir a recomendação médica com cautela.

5. Vá ao dentista

Olha só que inesperado: sabia que existe uma relação entre o aparecimento de gengivite e disfunção erétil? Pois é. Isso foi descoberto em um estudo de 2013, divulgado pelo Journal of Sexual Medicine. A relação entre uma coisa e outra está no fato de que a gengivite causa inflamação crônica, e isso danifica as células que arredondam os vasos sanguíneos, inclusive os da região pélvica.

Depois de seguir as dicas acima, é difícil não sentir uma grande melhora em sua saúde de maneira geral e, inclusive, em sua vida sexual. Não custa tentar, não é mesmo?

Fonte: Dicas de Mulher


5 dicas para retardar a ejaculação do parceiro


De acordo com uma pesquisa da Universidade de Utrecht com base nos costumes de alguns países, a duração média do sexo entre os casais é de 5,4 minutos . Entretanto, esse tempo algumas vezes pode não ser suficiente para ambos do casal cheguem ao orgasmo. Em alguns casos, vale lançar mão de técnicas ajudam a retardar a ejaculação do homem para o sexo dure mais.

Retardar a ejaculação pode ser uma ajuda e tanto para que a mulher chegue ao ápice do prazer porque homens e mulheres normalmente tem um "timing" diferente na cama. “O que acontece é que geralmente o orgasmo feminino demora um pouco mais para chegar, então é importante haver um esforço para que não seja só o homem saia satisfeito”, afirma a especialista em sexualidade e colunista do Delas, Cátia Damasceno.

Criadora do programa Mulheres Bem Resolvidas, Cátia destaca existem tipos de gel ou camisinha que fazem com que o homem demore mais a ejacular, mas na coluna desta semana ela monta uma lista com técnicas naturais para usar nesse momento. E o divertido que é as mulheres podem ajudar os parceiro no processo. “O importante é evitar que ele seja rápido demais”, diz Cátia.



Veja 5 dicas da especialista:

1. Exercite o PC
Segundo a Cátia, que também é fisioterapeuta especializada em uroginecologia, a região do órgão sexual é fortalecida pelo músculo pubococcígeo, chamado apenas de PC. “Tanto o homem quanto a mulher que quer ter um sexo mais duradouro e orgasmos melhores precisa exercitar esse músculo”, conta. Segurar o xixi, mover o pênis ereto para baixo e para cima, e repetir o movimento de contração máxima da uretra e do ânus 20 vezes são ideias de como exercitar esse músculo.

2. Mude a posição
Além de sair da mesmice, mudar a posição durante o ato sexual tende a aumentar o tempo de duração da transa. Segundo Cátia, as diferentes posições promovem estímulos diferentes e evitam que o gato dê aquela "espirrada repentina”. “E fora que só o tempinho de mudar de posição já pode ajudar a dar uma acalmada no amigão do parceiro”.

3. Fique por cima
Cátia também explica que, quando a mulher está por cima, a sensibilidade no pênis pode ser reduzida. “Geralmente, isso acontece quando a mulher fica por cima com as costas eretas e relaxadas, colocando pressão sobre a pélvis dele”, detalha.

4. Mantenha uma vida saudável
Cátia Damasceno também lembra algo básico, mas que passa despercebido para muitos: exercícios físicos e alimentação saudável ajudam na relação sexual e podem aumentar o tempo de duração da transa. “O corpo mais acostumado com exercícios físicos fica mais preparado para aguentar as atividades intensas do sexo”, conta, reforçando que má alimentação e hábitos ruins, como o excesso de álcool e cigarro, tendem a piorar o desempenho sexual.

5. Desfrute sem foco no orgasmo
Por fim, Cátia alerta que apenas o fato de a transa não ser feita às pressas já ajuda muito. “Pare de se desesperar pelo orgasmo, ele é maravilhoso, mas deve ser natural”, afirma a especialista. “O sexo precisa ser desfrutado e se tornar um momento de diversão, então abuse das preliminares e se doe para seu parceiro enquanto ele se doa para você”, completa.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo